Decifra-me e devoro-te

🚨ALERTA DE PRÁTICA INSEGURA 🚨

Decifrar prescrição médica é uma das prática mais perigosas que todo profissional de enfermagem ou farmacêutico já executou! Estes exemplos acima deverão ser considerados como rasuras e qualquer tentativa de interpretação é mera inferência imprecisa (ie. adivinhação) sobre a (des)informação aí contida. Cabe ao Profissional de Enfermagem ter ciência sobre seu Código de Ética diante de tais registros!

“Dos Direitos

Art. 10 – Recusar-se a executar atividades que não sejam de sua competência técnica, científica, ética e legal ou que não ofereçam segurança ao profissional, à pessoa, família e coletividade.

[…]

Das Proibições

Art. 32 – Executar prescrições de qualquer natureza, que comprometam a segurança da pessoa.”

E tem mais! O Código de Ética Médica, Capítulo III, Artigo 11: É vedado ao médico “receitar, atestar ou emitir laudos de forma secreta ou ilegível”.

📝Então, na situação de ilegiliblidade da Receita o dispensador pode tentar contatar o prescritor para que esclareça o seu conteúdo, caso não obtenha êxito, deve recusar-se a dispensar e orientar o paciente/usuário a retornar ao prescritor e solicitar a substituição da prescrição por uma legível.

📝Não obtendo êxito na substituição da prescrição por uma legível, o paciente/usuário tem o direito de denunciar ao Conselho Regional de Medicina, para que adotem as medidas cabíveis. Obs: A denúncia deve apresentar provas, ou seja, a prescrição original ou cópia desta.

📝Se liga aí! Não glamourizem o ato de “decifrar” a letra do médico na prescrição, e acima de tudo VIGIE A SUA CALIGRAFIA TAMBÉM, NÉ! 😉📝

Valeu! ✌🏽👨‍⚕️

Siga-me:
Facebook
Facebook
Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *